Vale do Ivinhema Agora
Campo Polícia Região

Operações com inteligência de mapeamento são realizadas em Mato Grosso do Sul

Seis mil litros de agrotóxicos irregulares foram aprendidos em propriedades do sul do estado

Por: Correio do Estado

Ações especiais das operações Ronda Agro e Hórus apreenderam mais de 6 mil litros de agrotóxicos irregulares no sul de Mato Grosso do Sul. As fiscalizações duraram uma semana, sendo inciados na segunda-feira (19) passada.

As ações foram fomentadas por autoridades da vigilância sanitária e de segurança pública do Governo do Estado e da União.

Também contaram com o auxílio do serviço de Business Intelligence – Inteligência de Negócios (BI) e a fiscalização da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

O objetivo das operações foi impedir o comércio e o uso de agrotóxicos irregulares, sem registro no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), com fórmulas que possuíssem princípios ativos proibidos no Brasil.

Além de coibir o uso de produtos contrabandeados dos países de fronteira.

A operação Ronda Agro é coordenada pela Divisão de Defesa Agropecuária da Superintendência Federal de Agricultura do Mato Grosso do Sul.

Já a operação Hórus é regida pelas forças de segurança do Estado e apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Dados parciais divulgados pela Superintendência Federal de Agricultura e MS (SFA/MS), apontam que 85 propriedades rurais foram fiscalizadas, assim como 258 veículos em rodovias.

No todo, foram aprendidos 73 kg e, aproximadamente, 6 mil litros de agrotóxicos irregulares encontrados durante as buscas.

Treze termos de apreensões e autos de infrações também foram realizados pela SFA/MS e a Iagro.

O diretor-presidente da Iagro, Daniel Ingold, falou da relação de parceria entre a Iagro e o BI.

“Por meio do cruzamento das informações do registro de agrotóxicos existentes na base de dados da Iagro, foram levantadas situações suspeitas de produtores e elaborados mapas das propriedades em questão”, pontuou.

O diretor-presidente ainda explicou sobre o planejamento para futuras fases das operações, segundo ele, a fiscalização tende a passar por áreas que já estejam sub suspeita.

“Para a primeira foi escolhida a região sul do estado, mas outras áreas receberão fiscalizações, regiões produtoras.”, disse.

Ainda de acordo com Daniel a iniciativa é de extrema importância. “Visa a segurança alimentar, enfatizando a relevância do uso de um produto de origem, testado pelo ministério e pelos órgãos competentes.”.

Related posts

Suspeito de ter matado cão a tiros é preso por posse ilegal de arma

Anaurelino Ramos

Taxa de contágio volta a subir no MS, e chega a 1.03

Anaurelino Ramos

Coronavírus em MS ultrapassa 99 mil pessoas infectadas, com mais de 10 mil novos casos em novembro

Anaurelino Ramos

Deixe um Comentário