Vale do Ivinhema Agora
Região

MS-473: Aterro sobre a ponte no Córrego do Baile elimina matas ciliares

O aterro erguido em meio à mata ciliar para a construção da ponte sobre o Córrego do Baile, na MS-134, provocou dano ambiental e eliminou as matas ciliares.

A ausência de vazantes da parte alta para a parte baixa do aterro causou enorme inundação e já matou centenas de árvores, além de praticamente toda a mata ciliar.

Hoje quem trafega pela MS-473, e passa pela ponte de concreto, percebe logo centenas de paus secos, prestes a sucumbir na água.

Alagamento

Aterro para a construção da pista pode ter provocado grande alagamento próximo a ponte sobre o Córrego do Baile (Fotos: Anaurelino Ramos)


Depois de matar toda a vegetação hoje o que se vê é um lago de coloração esverdeada

Arvores nativa da mata ciliar estão todas secas e podem desaparecer criando desiquilíbrio a essa região importante do Córrego

Calha do Córrego já está sem proteção e com apenas uma vegetação baixa, podendo desaparecer na seca

Na parte de cima da rodovia, próximo à ponte, o que se vê é um grande alagamento com uma água de cor  esverdeada.

Toda a mata ciliar antes fechada e quase virgem se acabou. Na região da ponte não existe mais o ecossistema de proteção.

Vários quilômetros de mata ciliar já morreram. Na época das águas a tendência é a inundação.

Quanto que, na seca, toda a região afetada, poderá ficar no chão limpo e até provocar erosão.

O Vale do Ivinhema Agora, não foi informado da existência de algum projeto para a recuperação da parte deste manancial. (Vale do Ivinhema Agora)

Related posts

Batayporã: Germino visitou a Vila Mustafá nesta quarta-feira (21)

Anaurelino Ramos

MS registra óbito de adolescente de apenas 15 anos em Campo Grande por coronavírus

Anaurelino Ramos

Covid-19: MS registra nova queda na taxa de contágio e na média móvel de casos confirmados

Anaurelino Ramos

Deixe um Comentário